Sábado, 04 de Dezembro de 2021
31°

Poucas nuvens

Maringá - PR

Geral Geral

SP tem mais de 100 atividades para celebrar Dia da Consciência Negra

Programação tem filmes, peças de teatro, exposições e oficinas

20/11/2021 às 12h35
Por: Redação Fonte: EBC
Compartilhe:
© Rovena Rosa/Agência Brasil
© Rovena Rosa/Agência Brasil

O Dia da Consciência Negra em São Paulo tem uma programação variada com filmes, peças de teatro, exposições, saraus, oficinas e cursos livres que contribuirão para ampliar a discussão sobre o tema. Organizada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, a programação especial acontecerá durante todo este mês de novembro para celebrar a data. O roteiro inclui mais de 100 ações virtuais e presenciais.

O Museu Afro Brasil celebra a data com apresentação musical, jogos e brincadeiras. Haverá, ainda, um tributo a Pixinguinha, o grande maestro, flautista, saxofonista, compositor e arranjador brasileiro, além de show com a Banda Performática, criada pelo artista José Roberto Aguilar e os músicos Arnaldo Antunes e Paulo Miklos. A banda promove uma fusão de linguagens, como performance, poesia, pintura, dança e música.

No Teatro Sérgio Cardoso tem a apresentação musical A Cor Púrpura, obra-prima de Alice Walker, que conta a história de Celie, mulher negra, pobre e semianalfabeta que desde a infância passa por situações de indiferença e abandono.  O espetáculo retrata um pedaço do mundo do início do século 20 ainda muito presente nos dias de hoje.

Pela plataforma e aplicativo #CulturaEmCasa, o II Festival Negro em Ação será exibido a partir de hoje. São 60 filmes, sendo 33 curtas-metragens, 14 videoclipes e 13 videoartes, todos realizados por artistas e diretores negros. A ação faz parte do projeto Ponte Aérea Cultural, parceria entre a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e a do Rio Grande do Sul. O evento ocorrerá no formato híbrido. Confira mais detalhes pelo aplicativo e pela plataforma do Cultura em Casa.

A Biblioteca Parque Villa-Lobos apresenta o Sarau Perifatividade, ação em que artistas e público se conectam por meio de poesias, músicas, dança e artes visuais. Na edição especial do Dia da Consciência Negra, o cotidiano da mulher e homem negro nas periferias, o racismo e a luta por direitos serão tema das poesias declamadas pelo coletivo. A intervenção “Camélia – Onde estão os negros?”, na Biblioteca de São Paulo, conduz o público a um cenário lúdico sobre a luta preta e os propósitos da semana de arte moderna, com muita poesia de poetas pretos contemporâneos.

O Dia da Consciência Negra nas Oficinas Culturais do Estado será marcado pela valorização da história e da produção cultural negra nas três unidades do programa que ficam na Capital (Alfredo Volpi, Juan Serrano e Oswald de Andrade). Todas as atividades são gratuitas e estão disponíveis de forma virtual e presencial.

As Fábricas de Cultura promovem diversos bate-papos educativos que abordarão temáticas relacionadas à cultura afro. Entre os encontros, o que trata dos cuidados com a pele negra, transmitido pelo canal do YouTube das Fábricas, com a farmacêutica esteta Arina Gabriela,  que contará um pouco sobre as características e os mitos que cercam a pele negra. 

Já a conversa sobre empreendedorismo afro será entre Letícia Santos e Zelma Tranças, no dia 25 de novembro, às 19h. Em “Trançando Histórias”, Zelma  falará sobre o trabalho que realiza há mais de 30 anos na região de Osasco (SP), por meio de ações de formação para novos profissionais da área, e apresentará seu próprio negócio, um salão especializado em beleza afro.

A criançada poderá aproveitar a atividade programada pelo Museu da Imigração, que realiza uma oficina de pintura com os artistas plásticos africanos  Lavi Kasongo (República Democrática do Congo) e Paulo Chavonga (Angola).

Interior e litoral

Em Campos do Jordão, o Museu Felícia Leirner leva ao público infantil a contação da história ‘Meu Crespo é de Rainha’, livro de Bell Hooks, e a oficina ‘Boneca Abayomi’ que vai ensinar a produção da boneca e a história dessa tradição.

No Museu Casa de Portinari, em Brodowski, a professora Camila Gonçalves Lima Rosa realiza uma roda de conversa na qual reforça a importância da educação, com a história de Maria do Carmo Valério Nicolau, mulher negra que ingressou na escola como ouvinte e conseguiu se formar.

O Museu Índia Vanuíre, em Tupã, apresenta a exposição ‘Movimento Negro em Tupã: Raízes e Resistência’ que vai contar a trajetória do movimento negro na cidade por meio de fotos e textos.

Aproximar o público da cultura africana e incentivar a reflexão sobre violência contra mulheres negras e, principalmente, periféricas, é o objetivo do bate-papo que será realizado no Museu do Café, em Santos. O museu fará uma  live sobre a produção de podcasts, que também integrará a programação. Para atender ao público durante a temporada de cruzeiros, o museu preparou um expediente ampliado, que vai até 4 de dezembro.

A programação completa também está disponível no site da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo

Programação completa

Plataforma #CulturaEmCasa

Acesse www.culturaemcasa.com.br ou baixe o aplicativo pelo Google Play ou Apple Store

Capital

Museu Afro Brasil

O Museu na Marquise
20/11

11h-12h30: Apresentação musical com jogos e brincadeiras: Música do Congo (com o educador Wasawulua Daniel)

13h Apresentação do grupo Pequeno Circo do Choro – Tributo a Pixinguinha

15h Banda Performática

Informações pelo site www.museuafrobrasil.org.br

Museu da Imigração

Oficina de pintura
20/11 às 11h

Os artistas plásticos Lavi Kasongo (República Democrática do Congo) e Paulo Chavonga (Angola) ministrarão uma oficina de pintura, na qual compartilharão as suas técnicas e vivências. As crianças deverão estar acompanhadas de um responsável para participarem da atividade, que acontecerá no jardim. Os materiais para acompanhar a ação serão fornecidos pela instituição. As vagas são limitadas e as inscrições estão abertas.

Museu da Língua Portuguesa 

Sarau
Dia: 20/11 às 12h 

O poeta e agitador cultural Sergio Vaz, incentivador da literatura periférica na zona sul de São Paulo, recebe o Sarau no Kintal, um coletivo que organiza ações culturais nos bairros da Brasilândia e Freguesia do Ó e o grupo VOPO (Vozes Poéticas), do Pq Vila Maria, o encontro promete expressões culturais através de poesia e literatura. 

Museu do Futebol 

Distribuição do livro: livro “Djalma Santos: do porão ao Palácio de Buckingham”
Dia 20 e 21/11 

O Museu do Futebol irá distribuir 500 unidades do livro “Djalma Santos: do porão ao Palácio de Buckingham”,  uma biografia que conta a história do craque negro que se tornou bicampeão do mundo e foi eleito pela FIFA como o melhor lateral-direito de todos os tempos. A obra apresenta detalhes de sua carreira desde o futebol de várzea até as atuações nos grandes clubes e as quatro Copas do Mundo disputadas por ele.

Editatona Goleiros e Goleiras
Dia 20 das 10h às 17h 

Mais uma edição do Editatona – maratona de edição da Wikipédia, desta vez sobre goleiros e goleiras. A temática do evento está relacionada à exposição temporária “Tempo de Reação – 100 Anos do goleiro Barbosa”, que fica em cartaz até janeiro de 2022 e homenageia o centenário do goleiro Moacyr Barbosa (1921-2000).  

Atividade presencial, respeitando e seguindo todas às orientações de combate à pandemia do coronavírus. O museu irá oferecer lanche e certificado de participação. 

Interessados devem enviar nome e RG para o e-mail: [email protected] 

Biblioteca de São Paulo

Sarau na biblioteca

25/11 às 11h – Especial Dia da Consciência Negra
O Coletivo Casa no Meio do Mundo propõe uma experiência de valorização da identidade cultural da arte preta, periférica e independente por meio da música e da poesia

Intervenção poética: Camélia, onde estão os negros?

20/11 das 12h às 13h e 14h às 15h
A intervenção “Camélia – Onde estão os negros?” leva o público a um cenário lúdico sobre a luta preta e os propósitos da Semana de Arte Moderna. A intervenção propõe uma caminhada pela poesia de poetas pretos contemporâneos e camélias.

Biblioteca Parque Villa-Lobos

Sarau na BVL – Sarau Perifatividade

20/11 às 14h30
O Sarau Perifatividade propõe que o público se conecte, através de poesias, músicas, dança e artes visuais, ao cotidiano da mulher e homem negro das periferias. A atividade será musicada pelo rap combatente do Pânico Brutal e contará com a experiência do Live Paint Afrofuturista de Felipe 3visão, dando visibilidade à potência artística e cultural do Fundão do Ipiranga.

Intervenção: Poéticas Modernas
20/11 das 11h às 12h e das 13h às 14h

Nesta intervenção, a escritora e poetisa Tawane Theodoro apresenta poesias de autoras e autores negros, construindo diálogos entre o Dia da Consciência Negra e o centenário da Semana de Arte Moderna de 22 e mostrando ao público as alegrias e as dores de ambas épocas. A atividade também faz parte da Agenda Tarsila (agendatarsila.com.br)

Fábrica de Cultura Brasilândia

Mostra de curtas metragens encontros “Congado” – Um filme de Érica dos Anjos

24/11, às 16h
Plataforma: Youtube

O curta aborda a importância do congado, que é apresentado no filme pelo ponto de vista histórico e relata a importância da representatividade do povo negro, desmistificando a festa e o sincretismo religioso existentes no tradicional folguedo histórico, símbolo da memória popular.

Música: “Brasilidade – Muito Prazer, as Iyálódes”

27/11, às 16h
Presencial

O show “Brasilidade – Muito Prazer, as Iyálódes” apresenta o poder da mulher negra dentro do cenário musical por meio das músicas de compositoras negras ou das que fizeram sucesso nas vozes de cantoras negras.

Fábrica de Cultura Diadema

Cultura Geral: Como cuidar da pele negra nos tempos de hoje?

20/11, às 20h30
Plataforma: Youtube

A pele negra também é tema de debate e a farmacêutica Arina Gabriela promove um bate papo on line onde aborda as características da pele negra e todos os mitos que a cercam. Também falará sobre auto cuidado e empoderamento.

Cultura Afro: Urucungo (Berimbau)

20/11, às 16h
Plataforma: Youtube

O coletivo “Quebrando a Cabaça Espalhando Sementes” apresenta a  história de “Urucungo” Berimbau. A atividade passeia pelo instrumento através da ancestralidade e mostra, com atividades, toda a energia,  musicalidade e inspirações que o Urucungo – berimbau representa.

Fábrica de Cultura Jaçana

Cultura Afro – empreendedorismo: “Trançando Histórias”

25/11, às 19h
Plataforma: Youtube

O empreendedorismo afro ganha destaque com o bate-papo entre Letícia Santos e Zelma Tranças, em “Trançando Histórias”. Durante a conversa, Zelma narra sua biografia, fala da importância do trabalho que realiza, especializado em beleza afro, e da sua influência entre os novos profissionais da área.

Fábrica de Cultura Vila Nova Cachoeirinha

Música: Show entre águas com Samantha Rebelles

20/11, às 18h
Plataforma: Youtube

A cantora Samantha Rebelles apresenta o show “Entre Águas”. Por meio desse trabalho autoral, ela saúda as grandes mães cultuadas nos terreiros do candomblé, as yabas Oxum, Iemanjá e Iansã, e passeia pela relação entre a música negra brasileira e as diásporas africanas.

Informações: https://www.poiesis.org.br

Fábrica de Cultura 4.0 São Bernardo do Campo

Exposição: Enciclopédia Negra

20 de Novembro, 14h

Local: Bibliotech (Presencial)

Quem são as pessoas que construíram nossa nação e tiveram as feições apagadas pela história e pelo racismo? Baseada no livro: Enciclopédia Negra, de Flávio dos Santos Gomes, Jaime Lauriano e Lilia Moritz Schwarcz, a Bibliotech fará uma exposição tecnológica e interativa com a ajuda de tablets disponíveis no espaço. De maneira online, o público se aprofunda na biografia de algumas das figuras retratadas no livro, que contém retratos feitos por 36 artistas negros.

Interior

Museu Felícia Leirner

Contação de História: Meu Crespo é de Rainha

20/11, às 15h
Contação de história baseada no livro de Bell Hooks, “Meu Crespo é de Rainha”. O público será convidado a participar da leitura e bonecas serão utilizadas para  auxiliar na contação. Em seguida, os participantes realizarão um desenho sobre o que entenderam da narração.

Consciência Negra: Boneca Abayomi

21/11, às 11h
A oficina “Boneca Abayomi” promove o resgate da identidade africana na cultura brasileira. Serão utilizados tecidos, cintos e turbantes na feitura de bonecas, a fim de promover uma viagem no tempo. As Abayomi fazem parte da identidade afro-brasileira e se tornaram símbolo de resistência, tradição e poder femininos.

Local: Mídias Sociais (YouTube: /museufelicialeirner / Instagram: @museufelicialeirner | Facebook: /museufelicialeirner | Twitter: /mfelicialeirner)

Informações: https://www.museufelicialeirner.org.br/

Museu Índia Vanuíre

Exposição Temporária: Movimento Negro em Tupã: Raízes e Resistência

Data: de 16 a 30/11
Para celebrar o Dia da Consciência Negra, foi inaugurada a exposição temporária “Movimento Negro em Tupã: Raízes e Resistência”. Fotografias, textos, depoimentos e objetos que exaltam a trajetória e a resistência do Movimento Negro em Tupã, no interior de São Paulo.

Local: Museu H. P. Índia Vanuíre (Rua Coroados, 521 – Tupã/SP)

Indicação de leitura

20 e 27/11
Todos os sábados de novembro, o Museu Índia Vanuíre irá indicar um livro que aborda as temáticas do museu. A leitura pode ser feita através de livrarias on line e e-books gratuitos.

Consciência Negra: Caça Palavras

21 e 28/11
As redes sociais do Museu índia Vanuíre promovem um Caça Palavras que aborda conteúdos sobre a importância do Dia da Consciência Negra e mostra personalidades negras brasileiras.

Informações: https://museuindiavanuire.org.br/

Museu Casa de Portinari

Roda de Conversa Dia da Consciência Negra

20/11, às 10h
A professora Camila Gonçalves Lima Rosa media uma roda de conversa onde relata a trajetória da Dra. Maria do Carmo Valério Nicolau, uma mulher negra nascida em Brodowski em 1932 que, de ouvinte na sala de aula, tornou -se professora, advogada, jornalista, escritora e precursora na produção de maquiagem para pele negra. Ela criou a marca Muene, conhecida internacionalmente.

O Negro na obra de Portinari

20/11, às 10h
Em celebração ao dia da Consciência Negra, as mídias sociais do Museu da Casa de Portinari apresentam algumas obras de Candido Portinari, artista que retratava corpos negros como símbolo de brasilidade.

Local: Mídias Sociais (YouTube: /casadeportinari | (Instagram: @museucadeportinari | Facebook: /museucasadeportinari | Twitter: /casadeportinari)

Informações: https://www.museucasadeportinari.org.br/

Litoral

Museu do Café

Educativo: Distribuição de kits para produção da boneca Abayomi

20/11, das 11h às 16h
O Museu irá propor a produção das bonecas Aabayomi. O objetivo é  promover o resgate da identidade africana na cultura brasileira. As Abayomi fazem parte da identidade afro-brasileira e se tornaram símbolo de resistência, tradição e poder feminino.

Oficina: “As Mariposas”

21/11, às 16h
A oficina propõe uma roda de conversa para debater questões presentes no cotidiano de mulheres negras, tais como: violência e a redução de danos e o resgate da autoestima. Durante a conversa cada participante poderá produzir sua própria boneca ancestral. A atividade busca resgatar a representatividade das mulheres negras.

Informações: https://www.museudocafe.org.br/

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários